26 de dez de 2011

16º Dia do Jejum de Daniel - Jesus chuta o pau da barraca da alma

Há quem busque o reconhecimento das pessoas para esfregar o ego da alma;
Há quem viva do glamour do mundo para satisfazer sua alma;
Há quem sacrifica toda a vida na busca da realização pessoal;
Há até quem morra pela glória oferecida pelo mundo.
Mas toda a glória disponível deste mundo vem de baixo e acaba quando a pessoa morre.

Porém, a glória que vem do Alto e Santo Lugar é eterna.
Vem direto da Fonte da Glória e jamais acaba.
Jesus foi glorificado pelo Pai no Seu batismo nas águas e com o Espírito Santo. Naquele dia, ouviu-se uma voz dos céus que dizia:
“Este é o meu Filho amado, em quem Me comprazo.” Mateus 3.17
A vinda do Espírito Santo confirma essa voz no íntimo dos selados com o Espírito.
Nada a ver com sentimentos ou emoções, mas certeza.
Noutra ocasião, com a alma angustiada, Jesus não orou pedindo ajuda, muito menos livramento daqueles momentos.
Antes, enfrentou o sentimento (angústia) da alma com a razão, com uma lição: “E que direi eu? Pai, salva-Me desta hora? Mas precisamente com este propósito Vim para esta hora.” João 12.27-28
Em seguida, chutou o pau da barraca da alma pedindo:
“Pai, glorifica o Teu Nome.”
Em outras palavras: Pai, Eu sacrifico os caprichos da minha alma para que se faça a Tua vontade.
Imediatamente, “veio uma voz do céu: Eu já O glorifiquei e ainda O glorificarei.” João 12.28
A multidão ali presente, tendo ouvido a voz, “dizia ter ouvido um trovão. Outros diziam ter sido um anjo que Lhe falou.”
Contudo, o mais importante é que o Deus-Pai glorificou o Deus-Filho diante de muitas testemunhas.
A presença do Espírito Santo torna possível sacrificar os anseios da alma para se realizar a vontade de Deus. E quando isso é feito, então a glória do Eterno Pai se faz presente nos filhos por toda a eternidade.

Via: bispomacedo.com.br

Nenhum comentário: