14 de dez de 2011

5º Dia do Jejum de Daniel - As Duas Ofertas


 Arca da Aliança foi tomada pelos filisteus na guerra contra Israel. Ela simbolizava a Glória de Israel. Durante os 7 meses em que esteve entre os filisteus, ela trouxe doença, morte e praga no meio do povo.
A Arca da Aliança era sagrada. Representava a presença de Deus no meio do Seu povo, da mesma forma como os dízimos e ofertas. Quem os retém fica sujeito ao espírito da maldição.

Por isso, quando Deus fala para Seu povo trazer os dízimos e ofertas à Sua casa, logo em seguida, Ele garante repreender o devorador. Isto é, a maldição ou a praga que tem consumido os ladrões.
Pressionados pela maldição de reterem a Arca, os filisteus resolveram devolvê-la para Israel. E consultaram seus sacerdotes e adivinhadores para saber como deveriam fazer essa devolução.
Mesmo sendo servos do mal, eles tinham consciência de que, sem oferta pela culpa, a praga não cessaria.
Naquele caso, responderam: “Segundo o número dos principais dos filisteus, 5 tumores de ouro e 5 ratos de ouro, porquanto a praga é uma e a mesma sobre todos vós e sobre todos os vossos príncipes. Fazeis imitações de vossos tumores e dos vossos ratos que andam destruindo a terra, e dai glória ao Deus de Israel…” I Samuel 6.1-5
A oferta de sacrifício pela culpa é obrigatória.
O rei Davi também teve de sacrificar para remover a maldição da praga que havia caído sobre o povo de Israel.
Deus teve de sacrificar Seu Filho Jesus para remover a praga do pecado sobre a humanidade.
Quem quiser ser cheio do Espírito Santo tem de sacrificar sua vontade, seus desejos e sua própria vida para recebê-Lo.
Esse tipo de oferta é uma manifestação de fé que impõe obediência.
A pessoa crê, sacrifica e é livre da maldição por obediência ou, então, sofrerá as consequencias da maldição pela desobediência.

A oferta de sacrifício tem de acontecer. Se não for feita para o benefício pessoal de salvação eterna, o será para o malefício da perdição eterna.
A bênção vem pela obediência à Palavra de Deus com sacrifício. A maldição vem por conta da desobediência à Palavra de Deus.
Uma coisa é certa: Obedecendo ou não a Palavra de Deus, o sacrifício sempre estará presente. Para a salvação ou para a perdição.
Quem sacrifica, obedece; quem obedece, sacrifica e é salvo. Quem não sacrifica, desobedece; quem desobedece, não sacrifica e será sacrificado no Lago de fogo e enxofre.
Já a oferta espontânea é inspirada pelo Espírito de Deus.
Ao contrário da oferta pela culpa, quando há troca, a oferta inspirada pelo Espírito envolve pureza e grandeza de espírito. É a mais pura expressão de amor, desprendimento e confiança em Deus.

O ofertante dá sem esperar nada em troca. Dá pela fé, pelo amor… Dá com inteira alegria. É chamada de oferta liberal porque é inspirada por Deus.
O próprio Espírito Santo, por meio de Paulo, ensina a respeito desse tipo de oferta, quando diz:
“Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.”
2 Coríntios 9.7
Quer receber a plenitude de Deus?
Então, sacrifique a sua plenitude para Ele.
É tudo por tudo.
Quem crê, amém. Quem não crê, paciência.

Nenhum comentário: